domingo, 1 de marzo de 2009

Do lenço de seda à calça de ginástica




15/06/2008
Do lenço de seda à calça de ginástica
Mestre Gil Velho explica as semelhanças e diferenças entre as maltas cariocas e as gangues pernambucanas no século XIX e reflete sobre a perda de personalidade sócio-cultural da capoeira
Gil Cavalcanti (Mestre Gil Velho)




A capoeira do século XIX, no Rio, com as maltas de capoeira, e em Recife, com as gangues de rua dos Brabos e Valentões, foram movimentos muito semelhantes aos das gangues de savate (boxe francês) em Paris e das maltas de fadistas de Lisboa do século XIX. A semelhança pode ser constatada, por exemplo, no vestuário – lenço de seda no pescoço – ou no instrumental de combate – navalha, porrete, bengala etc. O que mais chama atenção, no entanto, é que os gestuais dessas lutas também são parecidos, ou seja, os golpes usados na aguerrida comunicação gestual eram análogos.


1 comentario:

Javier Rubiera dijo...

deFICA - Prof. Sergio Vieira capoeira.fica@gmail.com

fecha19 de marzo de 2009 15:17
asuntoRe: Capoeira de rua
enviado porgmail.com

ocultar detalles 15:17 (2 horas antes) Responder


Olá Javier

Bom dia.

Esta expressão "capoeira de rua" tem dois sentidos.
1- Histórico - define o processo histórico de ocupação dos espaços públicos pelos praticantes de capoeira, como uma forma de resistência política e cultural.
2- Contemporâneo - define um procedimento pelo qual as atuais gerações de capoeiristas exercem suas liberdades por meio da prática da Capoeira de modo anárquico, isto é, sem a formalidade de regras desportivas ou de um grupo.
Obs.: Nos dois sentidos Capoeira ocupou e ainda ocupa espaços por meio da violência, resultando muitas vezes em repressões policiais ou até mesmo a proibição desta prática, como se dá, vez por outra, na Praça da República, em São Paulo ou, como como ocorre em alguns países da Europa, a proibição de brasileiros em participarem das Rodas de Capoeira.